O marketing de alimentos

O marketing de alimentos.

Como a química é hábil sempre que colabora com os envenenadores e os bandidos que nos assassinam!

Eu compro manteiga, é margarina; vinho, não é vinho; um filé de carne de boi é um filé de múmia de boi, embalsamado sim um Faraó do Egito, e conservado da corrupção dos filtros poderosos.

Não existe mais aguardente, não há mais leite, nem mesmo dobras de tinta e temos sorte que ainda exista água.

A providencial química inventou processos para que o comerciante possa me vender peixes estragados que não parecem podres e aves desinfetadas.

É por causa da química que comemos sob a forma de conservas, uma terra inodora e insípida, tendo mantido traiçoeiramente a forma das trufas, das ervilhas e dos aspargos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *